Os conflitos entre os idiomas inglês e holandês podiam ter surgido, mas não surgiram, na Nova Zelândia, aonde os holandeses chegaram primeiro. Mas era só uma questão de tempo. A história tinha outros planos e já lhes havia marcado um encontro na região sul do continente africano.

Quando, em 1652, os primeiros colonos holandeses chegaram à região perto do Cabo da Boa Esperança, suas ambições eram bastante limitadas. Afinal, os recém-chegados, conhecidos como boers ou afrikaners, eram simples lavradores e criadores de gado interessados apenas em ter uma vida digna longe dos problemas de sua terra natal. Com o tempo, foi surgindo uma cultura com características próprias e até um novo idioma derivado do holandês, o africâner (afrikaans). A colônia, com o nome de Cape Colony, foi-se firmando naquela parte do mundo e, já no século XVIII, a Cidade do Cabo (Cape Town) era um porto importante para o comércio com a região da Índia.

Essa situação foi profundamente alterada quando os ingleses ocuparam territórios perto do Cabo e, em 1814, compraram a Cape Colony do governo holandês por seis milhões de libras esterlinas. Seguiram-se as inevitáveis ondas de imigrantes ingleses, geralmente da região industrial de Midlands.

Além dos prováveis sentimentos de humilhação pela venda do território, os boers não aceitaram determinadas providências tomadas pela Inglaterra: em 1822, as leis inglesas foram formalmente impostas na colônia e o idioma inglês declarado a língua oficial; no ano seguinte, a escravidão foi abolida. A reação dos boers foi simples – eles abandonaram a colônia, indo norte em direção a Natal e às regiões ao longo dos rios Orange e Vaal. Aos milhares, os boers foram abrindo caminho e conquistando novos territórios das tribos africanas, de onde surgiram vários estados na região do Transvaal e do rio Orange.

inglês sul-africano, mapa da áfrica do sul mostrando colônias britânicas e repúblicas bôeres

Mapa da África do Sul mostrando
Colônias Britânicas e Repúblicas Bôeres

Durante anos a paz reinou entre os boers e os ingleses. Mas, em 1867, alguém descobriu diamantes numa região do Transvaal, o que levou a Inglaterra a ressuscitar suas políticas expansionistas. Alguns anos depois, a história jogou mais um pouco de lenha no fogo e fez com que fosse descoberto ouro na mesma região, atiçando ainda mais as ambições britânicas. Resultado: as relações entre os ingleses e os boers foram de mal a pior até que, em outubro de 1899, os boers declararam guerra contra a Inglaterra.

A chamada Boer War (Guerra dos Boers) colocava o poderoso império britânico contra os afrikaners e o resultado só poderia ser um: as repúblicas do Transvaal e o Estado Livre de Orange viraram colônias da Coroa, embora com governos próprios. (Mais tarde estas colônias se uniram às de Cape Province e Natal para formar a República da África do Sul, hoje um país independente).

Passaram-se anos em que a convivência foi mais ou menos pacífica, mas a velha animosidade irrompeu subitamente num evento em que os próprios idiomas se tornaram o estopim do conflito, como veremos no próximo artigo. (Contato com o autor: John D. Godinho – jdg161@gmail.com)

capa do livro once upon a time um inglês do autor john d. godinho

O texto acima faz parte do livro Once Upon a Time um Inglês… A história, os truques e os tiques do idioma mais falado do planeta escrito por John D. Godinho. Adquira essa obra nos seguintes endereços:
1) Impresso e livro digital
www.agbook.com.br
www.clubedeautores.com.br
2) Livro digital
Amazon, Amazon (Brasil),
Livraria Saraiva, Google Books

Leia também:
Línguas Inglesas – O Neozelandês
Línguas Inglesas – As Variações do Queen’s English
Línguas Inglesas – Inglês Australiano, a Colônia Penal

Como agradecer ao Inglês no Supermercado porque ele existe? Adicione um link para esta página ou clique nos ícones abaixo e divulgue o blog e tudo que você sabe sobre Línguas Inglesas – Inglês Sul-Africano – A História no Facebook, Twitter, emails etc.

O que você achou desse texto?